Sala de Música


Adoração

Cifras

Letras de Hinos

Levita

Levita Guerreiro

Louvor

Sobre a Música

O louvor em nossa vida

 Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor. Sl 150.6

 

 

 

 











































Música

Voltar

Música: Música é a arte dos sons, combinados de acordo com as variações da altura, proporcionados segundo a sua duração e ordenados sob as leis da estética.

Três elementos fundamentais que compõe a música:

Melodia: Consiste na sucessão dos sons formando sentido musical.
Ritmo: O ritmo é o movimento dos sons regulados pela sua maior ou menor duração.
Harmonia: Execução de vários sons ouvidos ao mesmo tempo.

 

I - Qual o objetivo da música na igreja
A música na igreja serve para abrilhantar o culto divino. A música para ser admitida no serviço de Deus, deve tornar-se digna desta grandiosa vocação. A música na igreja não deve visar a glória de Deus e a edificação do corpo de Cristo.
Deus é o criador da música assim como de todas as artes. Mas a música tem sofrido variações que com certeza não provem da vontade ativa de Deus.

 

II – Tipos de Música

Música Profana: Serve para abrilhantar as festividades do mundo. É a música ouvida nos teatros, nos concertos, nas festas profanas e nos lugares de divertimento. Esse tipo de música não serve para o culto divino.

Música Religiosa: São canções que objetivam assuntos religiosos. Este tipo de música dispõe dos recursos e dos meios de expressão da música profana, e dela tira o que precisa, para exprimir o colorido do caráter que lhe é próprio. Devemos ter o cuidado com esse tipo de música, que muitas das vezes passam como músicas sacras. Esse tipo de música é perigoso por que, pode ferir o sacro ritmo, transformar o participante do culto em espectador, confundir-se o altar com palco, o que seria um desastre.

Música sacra: É a música própria da igreja, é a música liturgica ( segue uma ordem e tem um objetivo) é a musica autêntica para as assembléias solenes. Admitir musica profana nos cultos a Deus é pecado, por ser uma profanação do templo e um escândalo para os fiéis.

II- A influência de Satanás na música
Satanás (lúcifer) foi criado originalmente como uma boa criatura musical ( Ez.28.13-15) como ele tem um talento musical excepcional, podemos saber que usará a música para enganar e escravizar pessoas. Usará movimentos “musicais” tais como: Punk Rock, New Wave, Heavy Metal, Rip Rop, Reege e outros para introduzir-se no culto a Deus.
Os adeptos desses movimentos dizem que precisamos ser como o mundo, ter a mesma aparência e ouvir a mesma música para podermos alcançar a juventude atual. Dizem que muitos jovens não quererão ouvir o evangelho nem vir a igreja se não tivermos algum terreno em comum com eles. Esse terreno comum é o estilo musical. Em outras palavras estão dizendo que pregar a palavra de Deus já não é mais suficiente. Dizem que não a mal se o resultado final for bom.

O que a Bíblia nos diz a respeito do engano de satanás: Ef. 5.6-8; Hb.3.13
Um outro resultado da música religiosa, é que ela leva seus ouvintes de volta ao envolvimento com a música secular. Muitos jovens cristãos ouvem esses tipos de música e alguns até possuem CDs em suas casas. E quando estão a sós ou em crise recorrem a essas músicas como auxílio. O perigo dessas músicas é que elas levam as pessoas para longe de Deus, da santificação e do estilo de vida separado do mundo.

 

III - A influência negativa da musica na igreja (Judas 4,8,11-13)
- A musica sempre traz em sua mensagem um pacote de oferta! O ouvinte não recebe somente a música. Com o passar do tempo, mais e mais dos seguintes frutos malignos manifestam-se em sua vida: Rebeldia – Homossexualismo – Violência – Imoralidade – Drogas - Álcool – Mundanismo – Ocultismo - Desejo de suicídio - Sensualidade e etc.

- A música influencia (de forma negativa, não bíblica) a moral, os valores e a filosofia de vida de uma pessoa. Como faz isso? A música mesmeriza (hipnotiza) o ouvinte enquanto satanás põe suas mensagens, sua imoralidade e seus padrões na mente da pessoa, diretamente ou de forma camuflada.

- A influencia da música pode tornar-se pior quando passamos a adotar o estilo de vida que os ritmos oferecem. É quando fazemos de um ritmo nosso estilo de vida. O estilo de vida do crente deve ser o mesmo de Jesus, ele é o nosso exemplo, e não nenhum cantor seja ele evangélico ou não.

- Na comunicação a uma parte verbal e a não verbal. Para que a mensagem seja compreendida claramente, tanto a comunicação verbal quanto a não verbal precisam estar em harmonia, se houver uma contradição entre as duas formas de comunicação, as pessoas acreditaram primeiro na comunicação não verbal.
Muitos grupos Gospel confessam que conhecem a Deus, mas na comunicação não verbal, passam uma mensagem diferente, de rebelião, de contemporização com o mundo e de sexualidade.(brincos, tatuagem, roupas indecentes, cortes de cabelos que expressão rebeldia, linguagem mundana e etc) “mas negam com as obras...” Tt.1.16 (Is. 5. 20) .

 

IV - Qual deve ser o nosso estilo de música?
A luz da palavra de Deus podemos concluir que a música que adora e exalta o Senhor Jesus Cristo será rejeitada pelo mundo. A música que chama as pessoas ao arrependimento, a santidade, a separação, e a uma total consagração ao Senhor Jesus, não será popular aos olhos de um mundo que rejeita a Cristo e seus ensinamentos. Esse é nosso estilo de música.

Qual o propósito da música na igreja?
Adorar e glorificar a Deus, edificar e fortalecer os cristãos (Ef.5.19; Cl.3.16).
A música sacra não tem o propósito de trazer os perdidos para Cristo, mas é uma forma de adoração e louvor a Deus. Na verdade a música sacra não é destinada para o mundo. Ela deve ser usada pelos filhos de Deus para adorar e louvar a Deus. Deus não prescreveu que a musica deve ser usada para ganhar os perdidos, para isso prescreveu a pregação.

O propósito da música sacra não é atrair os não salvos para Jesus. É claro que às vezes ela poderá atrai-los, mas não é esse seu objetivo. Seu propósito e alvo sempre foram e sempre será adorar e louvar a Deus.
Como a música é uma forma de adoração, ela fica corrompida quando é misturada com a carnalidade. A adoração a Deus precisa ser feita com santidade e pureza. Deus sempre exigiu justiça e santidade de seus adoradores e esses padrões não foram reduzidos.

O cristão é santuário de Deus, e como tal, deve ser mantido limpo para um mover com liberdade do Espirito Santo dentro dele. Devemos nos esforçar a cada dia para manter esse santuário limpo e livre de qualquer sujeira do mundo, mesmo que ela venha em forma de piedade e pureza, que é o caso de algumas músicas religiosas.

Alerta:
Fique atento quando a música tiver uma das seguintes característica; você pode estar sendo exposto às influencias demoníacas:

· Sensualidade proposital, inclui roupas sensuais, movimentos eróticos, fletes e olhares maliciosos, voz provocante destinada a provocar o público.
· Roupa fora do padrão de modéstia recomendado na bíblia: inclui roupas sensuais, que revelam partes do corpo e que sugerem um estilo de vida que não é de santidade.
· Linguagem não edificante: Inclui histórias maliciosas, piadas imorais, letras imorais e com duplo sentido, letras com insinuações sexuais, letras apelativas para relacionamentos
· Música extremamente alta: níveis ensurdecedores que são prejudiciais à audição e dificultam a compreensão das letras.
· Músicas que fazem apologia a libertinagem e a uma vida desregrada.
· Músicas que contradizem as escrituras e transmitem mensagens hereges.

Texto extraído.

 

Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada.

 Voltar


















LEVITA

 Voltar

O que é um levita?

DE ONDE ENTÃO VEM O CONCEITO DE "LEVITA"?

Muitas vezes, os ministros de louvor e músicos evangélicos são chamados de "levitas". Tal costume não é muito antigo, mas parece que já está se tornando tradição. No Novo Testamento não temos referência a ministros de louvor nem a instrumentistas na igreja. Jesus disse que o Pai procura adoradores (João 4:24). O ensino apostólico, por sua vez, incentiva todos os cristãos a prestarem culto ao Senhor, com salmos, hinos e cânticos espirituais (Ef 5:18-20; Col 3:16).

De onde então vem o conceito de "levita"? Tomamos por empréstimo de Israel e do Velho Testamento. Originalmente, "levita" significa "descendente de Levi", que era um dos 12 filhos de Jacó. Os levitas começaram a se destacar entre as 12 tribos de Israel por ocasião do episódio do bezerro de ouro. Quando Moisés desceu do monte e viu o povo entregue à idolatria, encheu-se de ira e cobrou um posicionamento dos israelitas. Naquele momento, os descendentes de Levi se manifestaram para servirem somente ao Senhor (Êx 32:26). Daí em diante, os levitas se tornaram ministros de Deus. Dentre eles, alguns eram sacerdotes (família de Aarão) e os outros, seus auxiliares. Embora os sacerdotes fossem levitas, tornou-se habitual separar os dois grupos. Então, muitas das vezes em que se fala sobre os levitas no Velho Testamento, a referência se aplica aos ajudantes dos sacerdotes. Seu serviço era cuidar do tabernáculo e de seus utensílios, inclusive carregando tudo isso durante a viagem pelo deserto (Números capítulos 3, 4, 8, 18).

Naquele tempo, os levitas não eram responsáveis pela música no tabernáculo. Afinal, não havia uma parte musical no culto estabelecido pela lei de Moisés, embora as orações e sacrifícios incluíssem o sentido de louvor, adoração e ações de graças.

Muito tempo depois, Davi inseriu a música como parte integrante do culto. Afinal, ele era músico e compositor desde a sua juventude (I Sm 16:23). Então, atribuiu a alguns levitas a responsabilidade musical. Em I Crônicas (9:14-33; 23:1-32; 25:1-7), vemos diversas atribuições dos levitas. Havia então entre eles porteiros, guardas, padeiros e também cantores e instrumentistas (II Crônicas 5:13; 34:12).

Considerando o paralelo existente entre Israel e a Igreja de Jesus Cristo, podemos até utilizar o nome "levita", embora não sejamos descendentes de Levi. Mas, se queremos assim considerar, então todos os que servem em qualquer ministério podem ser chamados "levitas". O levita é aquele que executa qualquer serviço ligado ao culto. O levita é simplesmente um servo e não alguém que esteja na igreja para ser alvo da glória humana.


Aqueles levitas, designados por Davi para o louvor, eram liderados por Asafe, Hemã e Jedutum, e tinham a tarefa de PROFETIZAR com harpas, alaúdes e saltérios (I Crônicas 25:1). Nessa época, surgiu a maior parte dos salmos de Israel. Hoje, podemos testificar que aqueles levitas eram mesmo profetas. Por meio deles o Espírito Santo falava ao povo. Além disso, eram mestres no que realizavam (I Cro 25:7). E nós? O que somos? Se quisermos usar o nome de "levitas" precisamos nos dispor para o serviço e para caminhar em direção a um nível de qualidade excelente no ministério.

Autor: Anísio Renato de Andrade  

Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada.

Voltar

Levitas dão frutos para a eternidade

“LEVITA NÃO É O MÚSICO, MAS TODO AQUELE DISPOSTO A SERVIR.”

Gosto sempre de lembrar: levita não é o músico, mas todo aquele disposto a servir. Não existe uma importância maior para o músico no Reino de Deus. Tanto o que toca, quanto o que abre a porta ou limpa o chão, servindo ao Senhor, é levita.

Quero relembrar também que a glória da presença de Deus é trazida no ambiente, pelos levitas. A presença de Deus em nosso meio não se dá por nenhuma das nossas programações, liturgias, idéias, enfeites ou recursos materiais, mas pela vida dos levitas.

Se eu decido viver para servir ao Senhor e aos irmãos, então o Espírito de Deus começa a se manifestar de uma forma tão intensa que a glória de Deus vem cada vez mais intensa e poderosa.

Os levitas podem dar muitos frutos, cada um de acordo com o talento que recebeu de Deus. As igrejas podem desenvolver maravilhosos projetos e idéias, podemos construir muitas coisas, mas tudo o que produzirmos nesta terra ficará aqui mesmo, não durará para sempre. Só há um fruto que os levitas podem produzir para a eternidade. Só há uma missão ou projeto da igreja local que permanecerá para sempre. Só há um trabalho que vale a pena investirmos.


Vidas

Se nós, como levitas do Senhor, usarmos os talentos para alcançarmos vidas, caminharmos com elas ensinando a Palavra, edificando o Corpo de Cristo, então estaremos produzindo frutos eternos. Todos os recursos físicos que precisamos virão do Senhor para nós. Não precisamos nos ocupar em ajuntar, construir, fazer, realizar...

Conheço muitas igrejas em todo o mundo. Vejo muitas delas, inclusive bem perto de nós, que se ocupam demais em construir e ampliar o patrimônio, são igrejas e ministérios que não “armazenam” frutos na eternidade.

Mas conheço também muitas igrejas que estão crescendo e sendo tremendamente usadas por Deus para o resgate de milhares de vidas. Elas também constroem, pois a cada dia precisam de mais espaço para comportar as vidas, mas a prioridade continua sempre sendo as vidas. Precisamos estar na presença do Senhor para recebermos mais e mais unção e poder, a fim de sermos autoridades espirituais, resgatando e instruindo muita gente, no caminho santo da vida cristã.

Parece que estes objetivos de vida não têm muito haver com os músicos. Vemos sempre os músicos envolvidos em gravações, shows, projetos e projetos... Meus irmãos, todos os frutos que podemos produzir com nossas mãos, se não forem simples instrumentos para abençoar vidas, então serão queimados como palha no fogo. Somente as vidas transformadas pelo Espírito Santo através de nós, serão frutos eternos.

De que me importa produzir tanto nesta Terra e não poder apresentar meus frutos na eternidade? Quero usar os talentos que recebi do Senhor, para que Ele possa realizar Seu maior desejo: salvar vidas. Quero ser alguém que quando toca ou canta, gera o mover de Deus para transformação de vidas. Quero ser um canal de salvação e edificação.

Não quero passar minha vida “realizando coisas” Não quero me gastar em projetos, quero me gastar nas mãos do Senhor para edificação de vidas, frutos eternos. Como levita do Senhor, o que você tem produzido para o Reino? Os frutos que brotam da tua vida são frutos eternos ou passageiros?

É claro que executaremos muitos projetos terrenos, dirigidos pelo Senhor. Porém todos os projetos precisam ter um só objetivo: alcançar e discipular vidas! Os ministérios de música das igrejas precisam entender cada dia mais a função espiritual dos levitas e da própria música. Enquanto servimos ao Senhor com nossos talentos musicais, gerando louvor e adoração, não produzimos apenas arte, mas produzimos palavras e sons proféticos que geram o mover da Palavra, o mover do próprio Jesus.

Desafio você a se reunir com o departamento, ou o ministério ao qual pertence em sua igreja e ter um tempo de oração e busca diante do Senhor. Clamem a Ele pedindo mais e mais sabedoria quanto às atividades que lhes tomam o tempo. Declaremos juntos ao Pai: Senhor, queremos ocupar toda a nossa vida em projetos vindos do céu para salvação e edificação de vidas. Queremos ser levitas de verdade. Queremos produzir frutos para a eternidade!

 
Sóstenes Mendes Xavier.

Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada.

Voltar

A adoração, o louvor e a música

O louvor é uma manifestação de adoração e significa elogio.

Enquanto a adoração fala do que somos, o louvor fala do que fazemos. A adoração é gerada dentro do homem, onde só Deus pode ver. O louvor inevitavelmente se exterioriza, onde os homens também podem ver. Como vimos até aqui, adoração significa reverência a Deus, através de uma vida de reconhecimento e amor.Não é possível adorar sem louvar, mas é possível louvar sem adorar.

Deus disse: "...este povo se aproxima de mim, e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim..."

Os verdadeiros adoradores estão compromissados com Deus interior e exteriormente. A música é um veículo, um transporte para o louvor e a adoração. Louvar a Deus se torna muito agradável com o respaldo (apoio) da música. É muito gostoso expressar nosso louvor a Deus através dela. A música não é fundamental mas coopera. Ela tem sua importância:

- É uma criação de Deus (Romanos 11.36; Apocalipse 4.11);
- E como a bíblia nos mostra, a música está presente até no céu (Apocalipse 14.3; 15.3).

A bíblia faz inúmeras menções sobre o louvor a Deus com a música:

- "Davi e toda a casa de Israel alegravam-se perante o Senhor, com toda sorte de instrumentos..." (2 Samuel 6.5)
- "Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom; cantai louvores ao seu nome, porque é agradável." (Salmos 135.3)
- "Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto eu viver." (Salmos 146.2)
- "Louvem-lhe o nome com flauta; cantem-lhe salmos com adufe e harpa." (Salmos 149.3)
- "Louvai-o ao som da trombeta; louvai-o com saltério e com harpa. Louvai-o com adufes e danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flautas. Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos retumbantes." (Salmos 150.3-5)

A adoração pode conter a música, mas nem sempre a música contém adoração.

Daniel Souza  

 

Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada.

 

Voltar




































Estudo sobre Louvor

    Qual o significado de louvor?

O louvor no Antigo Testamento é basicamente definido por três palavras:

-          Barak (bendizer)

-          Yadah (dar graças)

-          Balal (aleluia – louvai ao Senhor)

         A quem então devemos louvar?

·          Somente ao Senhor nosso Deus

·          Não devemos louvar-nos a nós mesmos (2 Coríntios 10:12)

         Porque devemos louvar?

·          Porque Deus é bom (1 Crônicas 16:34)

·          Para exaltar o poder de Deus (Salmo 21:13; Salmo 103:1-5)

·          Para que os demônios saiam (1 Samuel 16:22-23)

·          Para se fazerem conhecidas as obras de Deus (Salmo 105:1-3)

·          Para nos apresentarmos ao Senhor (Salmo 100:4)

·          Porque Deus habita nos louvores (Salmo 22:3)

         O que acontece quando louvamos?

·          O inferno estremece e os demônios se abalam (1Samuel 16:22-23)

·          Nosso coração se enche de alegria (Salmo 100:1-2)

         Como devemos louvar?

·          Voluntariamente (Juízes 5:2)

·          Com instrumentos e cânticos (Salmo 33)

·          Com palmas e voz de triunfo (Salmo 47:1)

·          Louvai com danças (Salmo 150:4)

·          Em Ações de Graças (Salmo 147:7)

·          Com sacrifícios, que é o fruto dos lábios que confessam o seu nome (Hebreus 13:15)

·          No seu santuário (Salmo 150)

·          De todo o meu coração (Salmo 9:1-2)

         Quando devemos louvar?

·          A todo tempo (Salmo 34:1)

         Quem deve louvar?

·          Eu e você (Salmo 71:22)

·          Os anjos (Salmo 148:2)

·          Os astros celestes (Salmo 148:3)

·          Tudo o que vive (Salmo 150:6)

         E se eu e você não quisermos louvar?

As pedras clamarão em nosso lugar (Lucas 19:36-40)

Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada.

 

















































Formando a personalidade de um levita guerreiro

TEXTO: I Sm 16.14-18

Esse texto faz referência a um grande guerreiro da Bíblia, Davi. Ele era valente e homem de guerra.

“Então respondeu um dos jovens e disse: Eis que tenho visto um dos filhos de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente, e animoso, e homem de guerra, e sisudo em palavras, e de gentil presença; o Senhor é com ele”. (I Sm 16:18)

 

COMO DEVE SER A PERSONALIDADE DE UM LEVITA GUERREIRO?

1 - Ser um valente;
2 - Animoso, alegre;
3 - Homem de guerra;
4 - Firme em palavras;
5 - Gentil presença;
6 - O Senhor é com ele;

Davi foi chamado por Saul para que quando o espírito mal viesse lhe atormentar, Davi ao tocar sua harpa o libertasse.
Davi era um guerreiro do Senhor, ele era valente, pois enfrentou Golias sendo apenas um pastor de ovelhas. Porém, o Senhor estava com ele, ele buscava ao Senhor de todo o seu coração e O obedecia. Golias afrontava o Deus de Israel e Davi como homem de guerra venceu o gigante e toda a sua afronta.

 

O QUE PRECISAMOS FAZER PARA TER A PERSONALIDADE DE UM GUERREIRO?

1 - Tomar posse das armas espirituais (Ef 6.10-17)
2 - Vencer os gigantes que tentam nos derrubar.

 

QUE GIGANTES SÃO ESSES QUE TENTAM DEFORMAR NOSSA PERSONALIDADE, NOSSA LIDERANÇA?

Esses gigantes podem ser:
1 - na área das emoções;
2 - da vontade;
3 - na alma;
4 - nos sentimentos;
Como guerreiros, precisamos identificar esses gigantes e vencê-los.

QUAL FOI O SUCESSO DAS CONQUISTAS DE DAVI?

1 – Sujeitou-se a Deus;
2 – Buscou a Deus;

Davi teve muitas vitórias, porém o seu sucesso dependeu de sujeitar-se a Deus. Ele O buscava para tomar decisões. Todas as vezes que pedimos orientação de Deus para a nossa vida, não andamos mancos. A vontade de Deus sempre é a melhor para a nossa vida.

 

COMO VAMOS FORMAR ESSA PERSONALIDADE GUERREIRA?

1 - Rompendo com velhas estruturas;
2 - Buscando o Novo para nossa vida;
3 - Sepultando o velho homem;
4 – Andando em novidade de vida;

Deus quer que cresçamos a cada dia para alcançarmos lugares mais altos. Para isso precisamos romper com as velhas estruturas (sepultar o velho homem) e buscar o novo – andar em novidade de vida (Rm 6:4).

No texto de Lucas 7:31, vemos que Jesus é o único que tem coragem de ensinar a uma sociedade tradicional e viciada culturalmente a fazer o novo. Ele nos desafia a criar e a nos mover em situações novas e fazer exatamente como o Espírito Santo nos guia a fazer, mesmo que isto signifique sair da “liturgia fechada” ou seja, da tradição.

O homem que não aceita mudanças sempre vai se apegar a algo como desculpa para não mudar. É incapaz de ver os seus erros, é acomodado.

Temos que romper com a tradição. Nos cultos, precisamos de sensibilidade do Espírito Santo para saber a hora de começar e terminar. A nossa liturgia na maioria das vezes atrapalha o que Deus quer fazer. Precisamos estar sensíveis para ouvir a voz de Deus.

“São semelhantes aos meninos que, sentados nas praças, gritam uns para os outros...” (Lc 7:32)

Quando crianças gritam em uma praça umas para as outras, o que elas querem dizer? Não sabemos. Muitas vezes fazemos coisas que ninguém entende, porém o levita que tem a personalidade formada, deve ser claro e específico em tudo aquilo que faz.

O levita não solta um grito sem um propósito, não faz uma proclamação sem saber para que serve. O levita é altamente responsável com tudo o que está ministrando.

Jesus ensinava a ortodoxos que eles deveriam saber a hora de chorar, rir e dançar. Os doutores da lei eram responsáveis em interpretar as escrituras, ou seja, fazer a hermenêutica. Se formos responsáveis em trabalhar para Deus, deveremos saber o que Deus quer.

O levita é aquele que sabe interpretar corretamente o que Deus o está instruindo a fazer. Muitas vezes interpretamos situações ou pessoas erroneamente, e então pecamos.

O levita é aquele com sensibilidade para musicalisar como Davi foi usado para libertar Saul através da música. O levita tem um ministério completo, ele é um guerreiro, porque somente um guerreiro saberá fazer exatamente segundo a sua guerra. Só ele sabe qual território quer conquistar.

Quais territórios você quer conquistar? Quais as áreas da sua vida que precisam ser conquistadas? Hoje, a nossa maior guerra não é a externa, mas a interna.

Enquanto os outros países são altamente preparados para atacar em uma guerra, Israel é o país mais bem preparado para se defender, e todas as vezes que Israel se defendeu em um ataque, além de se defender com êxito, ainda conquistou um território novo.

Todas as vezes que o levita enfrenta uma guerra, é a oportunidade que ele tem de conquistar um território novo. Devemos aprender a celebrar durante a luta já comemorando o novo território que será conquistado. E, que território é esse? O território segundo a luta que se está travando. Pode ser uma conquista financeira, familiar, pessoal, etc.

Com a personalidade formada, não segundo os conceitos humanos, da psicologia, mas segundo a palavra de Deus, você vai conquistar novos territórios e vencer, pois em Jesus você é mais do que vencedor.

Como esse levita conquistava as suas guerras? Além de ter uma personalidade formada, tinha uma arma essencial, que deve ser a nossa, a ADORAÇÃO.
 

 

Pr. Gilmar Britto - MIR

 Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada.






















O louvor em nossa vida

Voltar

Definição e o objeto

Louvar significa elogiar, exaltar, glorificar.
No louvor Deus é o objeto dos elogios, exaltação e glorificação.
"Ele é o teu louvor e o teu Deus, que te fez estas grandes e terríveis coisas que os teus olhos têm visto."  Dt 10:21

Somente a Ele nosso louvor deve ser dirigido, porque tudo que existe é resultado do Seu ato criador. Somos dependentes dele para existir como também para continuar existindo (Ap 4.11; Sl 95.1-7; At 17.25; 1 Cr 16.25).

Portanto, nosso louvor não deve ser prestado aos anjos, nem aos homens ou a qualquer criatura, mas unicamente ao Deus Triuno: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. (Mt 4.10; Dt 6.4,13; 10.21; Êx 20.3)

Elementos do louvor

1. O ponto de partida do nosso louvor: O coração.

O coração é o centro de nossas emoções e sentimentos. Nele devemos sentir amor profundo, um desejo de se entregar completamente a Deus (Pv 4.23; Jr 29.13; Mt 15.7-9).

2. O louvor deve ser uma adoração.

Adorar é sentir um amor profundo, uma vontade de estar junto, de dar atenção exclusiva e entregar completamente nossa vida a Deus. Ao louvar ao Senhor nosso coração deve estar nutrido destes sentimentos.
"...Adore o Senhor, o Seu Deus..." (Mt 4.10; Dt 6.13)
 
3. O louvor é individual

Partindo do coração, o louvor é individual. Ainda que esteja no meio de uma multidão, cada pessoa dever compartilhar em seu coração a adoração.

4. Aprendendo de Sua Palavra como louvá-lo.

Aplicação pessoal e contínua no estudo da Palavra de Deus é essencial ao genuíno louvor a Deus. Um ditado popular diz: "O que o olho não vê o coração não sente". Quando estudamos a Bíblia vemos as grandezas de Deus, Sua santidade e Sua vontade para nossas vidas. Estas verdades fazem-nos sentir maior desejo de louvar a Deus e aprendemos a forma correta de fazê-la.
O salmista reconhece que os louvores com retidão só podem acontecer quando aprende-se os justos juízos de Deus.
"Louvar-te-ei com retidão de coração quando tiver aprendido os teus justos juízos." (Sl 119:7)

5. Em Espírito e Verdade.

Jesus disse a mulher Samaritana: "Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4:23,24)

Para adorar em espírito é necessário nascer de novo, nascer do Espírito (Jo 3.5-8), ser uma nova pessoa em Cristo (2 Co 5.17; Gl 6.15).  Assim, nosso louvor será aceito por Deus quando partir de coração regenerado, de uma nova criatura em Cristo Jesus.

Para adorar em verdade é necessário conhecer o genuíno evangelho e o Caminho da verdade que é Jesus (Jo 14.6).  Sendo assim, se subentende que devemos aplicar-nos aos estudos de Sua Palavra, procurando compreender Seu santo caráter, propósito, mandamentos, etc. Como também trilhar naquele que é o Caminho da Verdade. O louvor e o estudo das Sagradas Escrituras são inseparáveis.
 
Como louvar a Deus

Quando falamos de louvor pensamos instantaneamente em cânticos, hinos e louvores. Porém estes fazem apenas parte da vida do crente que louva a Deus.

Com nossa vida

Paulo em sua carta aos "santos e fiéis em Cristo Jesus, que estão em Éfeso" (Ef 1.1) fala que Deus "em amor nos predestinou ... conforme o bom propósito da sua vontade, para o louvor da sua gloriosa graça ... a fim de que nós ... sejamos para o louvor da sua glória." (Ef 1.4,6,11,12,14).
Não existe uma distinção entre aquele momento que estamos na igreja e o nosso dia a dia. Todas as coisas que fazemos, em qualquer tempo ou lugar, devem ser para o louvor da Sua glória. Em tudo o que fizermos em nossa vida, Deus pode ser glorificado.
Paulo fala que quer seja nas simples coisas como comer e beber ou qualquer outra atividade, deve ser feito para glória de Deus.

"Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus." (1 Co 10.31)

Por isso em nosso dia a dia, devemos cativar nossos pensamentos a Jesus (1 Co 10.5) pensando somente no que é bom (Fp 4.8). Se submeter aos nossos superiores (Rm 13.1-2),  agradecer a Deus pelo alimento preparado (Mt 6.11), exercer os frutos do Espírito como amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gl 5.22). Confessar diante das pessoas o nome de Jesus (Hb 13.15), cantar louvores, orar continuamente (1 Ts 5.17), confessar nossos pecados (1 Jo 1.8 a 2.1) e estudar as Sagradas Escrituras (2 Tm 3.14-17).

 

Louvamos a Deus quando:

Em suma, os elogios dirigidos em palavras ou quando fazemos aquilo que é a vontade de Deus, nutrido de um amor profundo, uma vontade de estar junto, de dar atenção exclusiva e entregar completamente nossa vida a Deus. Sejam as pequenas coisas ou as mais difíceis, nisso consiste o nosso louvor.

 

Música

A música é a forma mais popularmente conhecida de louvor a Deus - ressalta-se aqui que ela faz apenas parte da vida do crente que louva.
Os cultos do Antigo Testamento incluíam os cânticos. Alguns dos levitas foram separados para música (1 Cr 15.14 a 22; 2 Cr 7.6). O livro de Salmos está repleto de convites para cantar louvores ao Senhor Deus.  

"Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome." (Sl 100:4 veja também Sl 92.1; 104.33)

No Novo Testamento os cânticos continuam fazendo parte dos cultos. Paulo incentiva os cristãos de Colossos dizendo: "Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração" (Cl 3.16).
Os salmos podem se referir aos Salmos do Antigo Testamento (Lc 20.42; 24.44; At 1.20; 13.33) ou também a novas composições para o culto (At 16.25). Os hinos eram especialmente usados numa celebração (Mc 14.26; Hb 2.12; veja também At 16.26), enquanto os cânticos eram exaltações dos atos de Deus e por tudo quanto Ele é (Ap 5.9; 14.3; 15.3). A palavra espiritual qualifica os salmos, hinos e cânticos como sendo inspirados e dirigidos pelo Espírito Santo.

Paulo, em suas cartas, parece ter porções de louvores primitivos  (Ef 5.14; Fp 2.6-11; Cl 1.15-20; 1 Tm 3.16) e outros autores, como João e Pedro, fazem o mesmo (Jo 1.1-14; Hb 1.3; 1 Pe 1.18-21; 2.21-25; 3.18-22).
Em Apocalipse encontramos muitos louvores dirigidos a Deus pelos anjos, e são exemplos vibrantes para nossos cânticos (Ap 4.8,11; 5.9-10,12-13; 7.10,12; 11.15,17-18; 12.10-12; 15.3-4; 19.1-8; 21.3-4).
O tema central de nossos louvores dever ser Deus em sua obra redentora através de Cristo Jesus. Tudo o que Cristo tem feito a nós pela sua infinita graça deve levar-nos a seguir a Jesus glorificando e louvando a Deus assim com fez o cego curado por Jesus e o povo que o viu realizar o milagre.

"E logo viu, e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, vendo isto, dava louvores a Deus." (Lc 18:43)

Com o sofrimento

A nossa fé, amor e alegria experimentada nos sofrimentos são um louvor a Deus. 
"Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo;" (1 Pe 1:7)
Um exemplo é Jó, que se manteve fiel mesmo sem entender o porque de seu sofrimento. Mas Deus, através da fidelidade de Jó, foi louvado diante de Satanás que não conseguiu fazer Jó  renegar Seu Deus (Jo 1 a 2.3).
A fidelidade em tempos difíceis e a aceitação da vontade de Deus no sofrimento ressoam como elogios, exaltação e glorifica a Deus.

 

Benefício

Quando louvamos a Deus experimentamos uma maravilhosa comunhão que nos trás benefícios como:

Cumprimos o propósito da vida

Por milhares de anos filósofos discutem e ponderam sobre o propósito da vida, ou seja, para que estamos aqui?
Esta resposta só pode ser correta quando feita pelo próprio Criador. Felizmente o Criador responde através de Sua Palavra:

"A todos os que são chamados pelo meu nome e os que criei para a minha glória, os formei, e também os fiz." (Is 43:7 veja também Ef 1.11,12)

Quando louvamos a Deus o propósito para qual fomos criados é cumprido e assim nossa alma  se sacia preenchendo o vazio que antes havia em nós.

Renovamos as forças 

Em momentos difíceis o louvor alivia a alma e renova as forças. Um exemplo é Jó novamente, que sofreu e no momento mais difícil de sua vida palavras de louvor saíram de sua boca:

"Ao ouvir isso, Jó levantou-se, rasgou o manto e rapou a cabeça. Então prostrou-se, rosto em terra, em adoração, e disse:"Saí nu do ventre da minha mãe,e nu partirei.O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor"." (Jó 1.20,21 NVI)

Outro exemplo é o alívio que Saul sentia quando Davi louvava a Deus na sua presença, o espírito mau se retirava (1 Sm 16.23).
 Paulo e Silas, quando presos no cárcere em Macedônia, estiveram com os pés presos num tronco e suas costas estavam sendo açoitadas. Certamente suas costas ardiam e seus pés doíam, no entanto louvavam a Deus com oração e hinos (At 16.22-25).
Quando Louvamos a Deus, Ele ministra a nós e assim nossas forças minguantes são renovadas.

 

Alegria Mútua

No louvor alegramos a Deus (Is 62.4-5; Sf 3.17) e nos alegramos em Deus (Lc 24.52-53; At 2.46-47; Sl 42:4; 100.2; Tg 5:13). O salmista nos ajuda a compreender como pode ser isto quando diz: "Então irei ao altar de Deus, a Deus, a fonte da minha plena alegria" (Sl 43.4 nvi). Davi diz em seu salmo  "Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente." (Sl 16:11)

Sendo Deus a fonte de alegria, na sua presença há fartura de alegrias que contagia todos os que louvam.  Nosso Senhor habita nos louvores.
"Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel." (Sl 22:3)

 

Os males fogem

Um ditado popular diz "Quem canta os males espanta".  Isso acontece quando louvamos a Deus, seja com nossa vida ou especificadamente pela música. Através do louvor, Saul obteve alívio do mal-espírito (1 Sm 16.23). Paulo e Silas superaram suas dores (At 16.22-26) e os inimigos de Israel, moabitas, edonitas e sírios, foram derrotados.

"Depois de consultar o povo, Josafá nomeou alguns homens para cantarem ao SENHOR e o louvarem pelo esplendor de sua santidade, indo à frente do exército, cantando: "Dêem graças ao SENHOR, pois o seu amor dura para sempre". Quando começaram a cantar e a entoar louvores, o SENHOR preparou emboscadas contra os homens de Amom, de Moabe e dos montes de Seir, que estavam invadindo Judá, e eles foram derrotados.." (2 Cr 20:21.22 NVI)

 

Evangelizamos

A vida da pessoa que louva a Deus testemunha a Jesus.  As pessoas, vendo o caráter de Cristo moldado em nós, são estimuladas a conhecer ao Senhor (At 1.8).
Os louvores em forma de músicas são muito eficientes na evangelização. Isto porque a melodia amolece o coração, permitindo que a letra cantada penetre no coração. O Senhor entra na casa de cada um, e com ele ceia (Ap 3.20).
 "E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar." (At 2.46,47)

 

Ruídos em nosso louvor

O pecado é o ruído que desqualifica os louvores dirigidos a Deus. Através do profeta Isaías, Ele disse à nação rebelde Israel:  "Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene." (Is 1:13, veja também Is 59.1-2).

No louvor em forma de música as desqualificações surgem quando se pensa apenas na parte técnica e/ou motivada por orgulho, egocentrismo, jactância, ganância, desejo de ser reconhecido pelas pessoas, quando o foco deve ser o próprio Deus e assim são nutridas por um coração que não deseja adorar a Deus.

Com o pecado enraizado em nossos corações nossos louvores não serão ouvidos por Deus.
"Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria"
(Sl 66.18 NVI)

 

Acertando os ruídos

Não somos mais escravos do pecado desde que aceitamos Cristo Jesus. Porém, Ele ainda se faz presente em nossas vidas. Devemos purificar-nos diariamente para que nosso louvor seja agradável ao Senhor.  João ensina como fazer:
 "Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.  Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.  Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.  Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós." (1 Jo 1.7-10)

Confessar a Deus admitindo que erramos, reconhecer que Cristo morreu na cruz por nossos pecados (1 Pe 2.24) e pedir perdão em nome de Jesus (1 Jo 1.9-2.2) é essencial. Diariamente devemos fazer isto.

No que diz respeito ao louvor em forma de música, devemos sempre nos policiar se estamos fazendo unicamente para Deus ou por outros motivos pecaminosos. Somente o Senhor deve ser o motivo de nossos louvores, cânticos, hinos e corinhos. Ele não divide o louvor e sua Glória com ninguém ( Is 42.8; Is 48.11).

Só o SENHOR é digno de louvor.
"Porque grande é o SENHOR, e digno de louvor, mais temível do que todos os deuses." (Sl 96:4)
"Grande é o SENHOR, e muito digno de louvor, e a sua grandeza inexcrutável." (Sl 145:3)

 Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada.

 























































Adoração

 Voltar

Definição e propósito da adoração

Adoração é a atividade de glorificar a Deus em sua presença com nossa voz e com nosso coração.

Nessa definição podemos observar que adorar é um ato que glorifica a Deus. Apesar de se esperar que todos os aspectos de nossa vida glorifiquem a Deus, essa definição especifica que adoração é algo que fazemos especialmente quando entramos na presença de Deus, quando estamos conscientes que o cultuamos de coração e quando o louvamos com a voz e dele falamos para que outros o ouçam. Paulo incentiva os cristãos de Colossos, dizendo: “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração (Cl 3.16).

 

As conseqüências da adoração genuína

Quando adoramos a Deus no sentido descrito acima, verdadeiramente tributando-lhe glória no coração e com nossa voz, há diversas conseqüências disso:

 

1. Alegramo-nos em Deus.

Deus criou-nos não somente para glorificá-lo mas também para alegrar-nos nele e regozijar-nos em sua grandeza. Nós provavelmente experimentamos alegria em Deus mais plenamente na adoração do que em qualquer outra atividade na vida. Davi confessa que “uma coisa” que ele buscou acima de tudo foi, conforme disse: “que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo” (Sl 27.4). Ele também afirma: “Na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente” (Sl 16.11).

2. Deus alegra-se em nós.

O que Deus faz quando o adoramos? A impressionante verdade das Escrituras é que enquanto a criação glorifica a Deus, ele também alegra-se nela. Quando Deus fez o universo, no princípio, contemplou tudo com alegria e viu que “era muito bom” (Gn 1.31). Deus tem alegria especial nos seres humanos aos quais ele criou e remiu. Isaías lembrou ao povo do Senhor:

 

3. Aproximamo-nos de Deus.

A maravilhosa realidade invisível da adoração na nova aliança. Na antiga aliança era possível aproximar-se de Deus só de maneira limitada através das cerimônias do templo; na verdade, a maior parte do povo de Israel não podia entrar no próprio templo, mas tinha de permanecer no pátio. Até mesmo os sacerdotes podiam adentrar apenas o átrio externo do templo, o “Lugar Santo”, quando estavam designados para tal tarefa. Mas no recinto mais interior do templo, no “Santo dos Santos”, ninguém podia entrar exceto o sumo sacerdote, que o fazia apenas uma vez por ano (Hb 9.1-7).

 

4. Deus aproxima-se de nós.

Tiago diz-nos: “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós” (Tg 4.8). Esse tem sido o padrão com que Deus trata o seu povo em toda a Bíblia, e devemos estar confiantes que isso também é verdade hoje.

 

5. Deus ministra a nós.

Embora o propósito principal da adoração seja glorificar a Deus, as Escrituras ensinam que também acontece algo conosco na adoração: nós mesmos somos edificados. Até certo ponto, isso acontece, naturalmente, quando aprendemos dos ensinos bíblicos ministrados ou das palavras de incentivo dirigidas a nós; Paulo afirma: “Seja tudo feito para edificação” (1Co 14.26), e diz “instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria” (Cl 3.16), e também “falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais” (Ef 5.19; cf. Hb 10.24-25).

 

6. Os inimigos do Senhor fogem.

Quando o povo de Israel começava a adorar, Deus, em certas ocasiões, lutava por eles contra os seus inimigos. Por exemplo, quando os moabitas, os edomitas e os sírios atacaram Judá, o rei Josafá colocou os cantores em frente do exército louvando a Deus:

 

Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o Senhor, que, vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus [...] Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o Senhor emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desba-ratados (2Cr 20.21-22).

 

 

 

7. Os descrentes sabem que estão na presença de Deus.

Ainda que as Escrituras não enfatizem a evangelização como propósito principal quando a igreja se reúne para adorar, Paulo ordena aos coríntios que se preocupem com os descrentes e com os de fora que comparecem aos cultos, para que eles tenham certeza de que os cristãos falam de maneira que se pode entender (veja 1Co 14.23). Ele também lhes diz que se o dom de profecia estiver sendo usado adequadamente, os descrentes terão eventualmente os segredos do seu coração descobertos, e se prostrarão sobre o rosto e “adorarão a Deus, testemunhando que, Deus está, de fato, no meio de vós” (1Co 14.25; cf. At 2.11).

 

O valor eterno da adoração

Pelo fato de glorificar a Deus e cumprir o propósito para o qual ele nos criou, a adoração é uma atividade de significado eterno e de grande valor. Quando Paulo adverte os efésios de que não desperdicem o tempo, mas que o usem bem, ele o faz no contexto do viver como os sábios: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus” (Ef 5.15-16).

 

Como podemos entrar em adoração genuína?

Finalmente, a adoração é uma atividade espiritual e precisa ser efetuada pelo poder do Espírito Santo em nós. Isso quer dizer que devemos orar para que o Espírito Santo capacite-nos a adorar corretamente.

 

Wayne Grudem

Os artigos não expressam necessariamente a opinião da Igreja Presbiteriana Renovada. 

 

 

 







































Cifras

 

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

 

Voltar









































Letras

 

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z


Voltar

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

Chuva de Avivamento (Letra)

 

Nos últimos dias diz o Senhor
Derramarei meu espirito sobre toda a terra
Copiosamente
Poços secos jorrarão
E até o deserto de novo frutificará
Abundantemente.

É o som do nosso louvor
Que sobe aos céus como um vapor
E se condensa na nuvem de glória
Shekinah, sobre nós se derramará...

(em)Abundante chuva! chuva!
Derrama sobre nós esta chuva
Abre as comportas dos céus, Senhor
Faz chover...
Abundante chuva! chuva!
Derrama sobre nós esta chuva
Torrente de águas sobre o sedento
Chuva de Avivamento!
Chuva de Avivamento!

E esta chuva converterá
O coração dos pais aos filhos
E dos filhos aos pais
No poder do Espirito.

Chuva de avivamento
Chuva de avivamento
Chuva de avivamento
Vem sobre nos...

 

 Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

É Preciso Ter Fé (Letra)

 

É preciso aprender a crer
É preciso aprender a confiar
É preciso aprender a acreditar
É preciso aprender a olhar
Com os olhos do pai quando tudo ao meu lado
Parece desmoronar.

Pra mover as montanhas
Pra romper meus limites
Pra crescer é preciso,
É preciso ter fé.

É preciso ter fé no filho de Deus
Pra quebrar a resistência
Na unção da excelência
É preciso crer !
É preciso, É preciso,
É preciso ter fé.

Quando as forças do mal se levantam
Eu levanto mais a minha canção
Vou crescendo em fé
Adorando ao meu Deus.

Nada vai abalar minha fé
O inferno não vai me deter, pois eu sei
Sei que tudo é possível
Aquele que crê, que crê.

Eu creio sim
Sim, sim, sim
Sim eu creio em Deus.

 

Voltar 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

A Colheita (Letra)

 

Voz do que clama em meio ao deserto
Prepara o caminho do meu Salvador
Grita nas praças, nas ruas, nos campos
Prepara o caminho do meu Salvador.

Toca a trombeta em Sião
Não despreze as feridas das suas mãos.

Este é o tempo de lançarmos a rede
Pregar a palavra, viver o evangelho
Este é o tempo de quebrantamento
A colheita chegou
A hora é chegada
O tempo é este, Ele vem!

Ide fazei discípulos de todas as nações
Porque Ele vem (8X)
O espirito e a noiva dizem : vem!

 

Voltar 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

Aleluia Ao Senhor (Letra)

 

Aleluia, aleluia, aleluia ao Senhor.
Aleluia, aleluia, aleluia ao Senhor.

Toda glória, toda honra, toda adoração, todo o louvor
Ao cordeiro que foi morto, mas ressuscitou...

Aleluia, aleluia, aleluia ao Senhor.

Exaltado, majestoso !
Vem reinar pra sempre neste trono de louvor !
Declaramos Santo, Santo, Santo é o Senhor...

Aleluia, aleluia, aleluia ao Senhor .

Quando eu Te contemplo
Me vejo tal qual eu sou
Teu amor me constrange
Prostrado te adoro, Senhor !

Aleluia, aleluia, aleluia ao Senhor .
Aleluia, aleluia, aleluia ao Senhor .

Santo, Santo, Santo
Santo, Santo, Santo
Santo, Santo, Santo
É o Senhor.

 

 Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

Jardim Secreto da Adoração (Letra)

 

Meu amado Rei, olha pra mim, estou no jardim
Permita-me entrar na sala do trono e te adorar.

Eu já me perfumei com o óleo da unção
Já me adornei com as vestes reais do louvor
Por ti desfaleço de amor.

No jardim secreto da adoração estou
Porque Te amo!
No jardim secreto da adoração estou
Porque Te adoro!
Estenda pra mim Teu cetro de amor
Ao som do meu louvor.

Quero ser irresistível ao teu coração
No jardim secreto da adoração.

Tua doce voz quero ouvir cantando pra mim
Vem me abraçar e me conduzir ao palácio real.

Preciso Te encontrar
Não dá mais pra esperar
Se eu morrer, morrerei
Mas de que vale a vida
Longe da presença do meu Rei.

 

 

Voltar 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

Mostra-me Tua Glória (Letra)

 

Santifica-me
Purifica-me, Senhor
Sem santificação ninguém verá a Ti
E eu quero Te ver.

Santifica-me
Purifica-me, Senhor
Sem santificação ninguém verá a Ti
E eu quero te ver,te adorar
Quero te contemplar no santíssimo lugar.

Mostra-me Tua glória
Mostra-me Teu rosto
Mostra-me Tua face
Amado meu
Tu és a minha vida,
O ar que eu respiro
O pão que me alimenta
É Tua presença
É Tua essência em mim.

 

Voltar 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

Poema de Amor (Letra)

 

Eu o chamo pelo nome
Não, você não é um clone
Com as minhas próprias mãos Eu o formei
Maravilhosamente, cuidadosamente Eu o planejei.

Você é um poema de amor que Eu escrevi
Você é a obra prima da minha criação
Antes mesmo deste mundo vir a existir
Você foi gerado dentro do Meu coração
Da sua vida Eu compus a mais linda canção
Com sete notas de excelência, glória e amor
Deixa-me soprar o Meu espirito em você
E a musica da sua vida vai resplandecer.

Sou o autor da sua vida
Posso curar suas feridas
Apagar as marcas feitas pela dor
E escrever de novo
A melodia que a lágrima manchou.

Quando a força do seu arco impulsiona para trás
É pra fazer que a sua flecha alcance muito mais
Darei vida aos grandes sonhos que o medo ocultou
Eu te amo tanto, tanto, como é grande o seu valor.

 

 

 Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Célia

Jardim secreto da adoração (CD) 2003

Unção da Vitória (Letra)

 

Jesus cristo esta aqui!
Ele está aqui para te encontrar!
Jesus Cristo está aqui!
Ele esta aqui pra te curar!

Recebe a unção da vitoria
Em nome de Jesus !

Jesus Cristo está aqui!
Ela está aqui para te libertar!
Jesus Cristo está aqui!
A historia da tua vida vai mudar!

Recebe a unção da vitoria
Em nome de Jesus !

A unção que despedaça todo jugo!
A unção que quebra todos os grilhões!
A unção que cura toda enfermidade!
A unção que restaura os corações!

Recebe a unção da vitoria
Em nome de Jesus !

 

 

  Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aline Barros

Aline Barros & Cia (CD) 2006

Pula, Pula (Letra)

 

Na, na... Hoje é de brincar,
Pular, dançar e cantar
Vai ter festa no parquinho
Com pipoca e guaraná
Pode aparecer, a festa já vai começar
Vem brincar de pula-pula
Com a nossa turma

Pula, pula, pula... Vem pra nossa turma.
Pula, pula, pula... Com Jesus é mais legal!
Pula, pula, pula... Vem brincar de pula.
Pula, pula, pula... Vem pra nossa turma.
Na, na, na, na, na... He, hei

De cabeça para baixo na montanha-russa,
Dá um frio na barriga,
Curto a cada instante
Gira-gira sem parar,
Com Deus, eu sou gigante,
Vem brincar de pula-pula
Com a nossa turma.

 

 

  Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aline Barros

Aline Barros & Cia (CD) 2006

Homenzinho Torto (Letra)

 

Havia um homenzinho torto
Morava numa casa torta
Andava num caminho torto
Sua vida era torta
Um dia o homenzinho torto
A bíblia encontrou
E tudo que era torto
Jesus endireitou

 

 

  Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aline Barros

Aline Barros & Cia (CD) 2006

Dança do Pingüim (Letra)

 

É assim
Essa é a alegria do Senhor
Dentro de mim

É assim, assim
Eu vou te ensinar
Como é a dança do pingüim

Sabe o que inventaram agora?
Eu sei!
Tá rolando o maior buchicho!
Eu já ouvi!

Olha que esse papo é da hora!
Festa de esquimó só rola isso!

Arrasto o pezinho quase levantando vôo
Batendo as asinhas nesse balanço é que eu vou
Esquerda e direita. Assim, assim, pra lá e pra cá
Olha que maneiro ninguém vai querer parar

 

 

  Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aline Barros

Aline Barros & Cia (CD) 2006

Chuá, Chuá (Letra)

 

 

Chuá é o som da nossa onda,
Chuá, chuá...
Chuá, chuá, Jesus é nossa onda.
Chuá, chuá, chuá, chuá, chuá.

Minha mãe me acordou
Dizendo que é verão
Brilha o sol amarelo e grandão
As nuvens de algodão já foram embora
E brilha o lindo céu azul igual do mar

A cigarra que não pára de cantar
Convidando os passarinhos pra louvar
A galeria de Jesus é dessa praia
E todo o mundo agradece nesse som

Chuá é o som da nossa onda,
Chuá, chuá...
Pega a prancha e vem surfar
Na onda desse mar
Eu já sei quem preparou esse lugar
O dono disso tudo é o paizão
Que lá do céu recebe nossa gratidão


Voltar